quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

149 e fatias de nada




Ali caem as coisas que caem podres da fonte de todas coisas simples.

Sem comentários: